Filhotes – Dicas de Cuidados

O primeiro ano de um filhote de Bernese Mountain Dog

Os primeiros dias, semanas e meses de vida de seu filhote são cruciais para a sua formação como cão adulto. A contribuição do criador para o futuro de seu filhote iniciou-se com a seleção de seus pais. Espera-se que este criador tenha sido criterioso ao analisar informações sobre saúde, temperamento e estrutura da raça, e que tenha tomado uma decisão sensata ao realizar o acasalamento. Outra pessoa importante para a saúde e bem-estar de seu filhote é o veterinário que o acompanhará durante toda a sua vida. Porém, caberá ao proprietário zelar pela formação de seu cão.

Para atender plenamente a esta responsabilidade é fundamental compreender o desenvolvimento do filhote e as necessidades de cada fase com relação à saúde, adestramento e cuidados gerais. Exercícios regulares, uma dieta saudável, alojamentos limpos, secos, bem-ventilados e adaptados às condições climáticas, aliados a cuidados veterinários freqüentes são essenciais para manter seu cão saudável. O proprietário pode avaliar a saúde e bem-estar de seu cão tocando-o, observando suas condições gerais, (peso, dentição, unhas, pelagem, olhos, ouvidos) e analisando sua disposição e comportamento. Proprietários atentos às necessidades diárias de seus cães estarão mais aptos a avaliar suas condições de saúde.

Desenvolvimento Inicial do Filhote

Assim como os seres humanos, os cães passam por fases distintas em seu desenvolvimento. Cada uma destas fases apresenta suas próprias exigências em termos de necessidades físicas, comportamento e desenvolvimento. O caráter do filhote é formado durante a fase de aprendizado, que ocorre entre a 3ª e a 24ª semanas de vida. As características genéticas herdadas através de acasalamentos criteriosos, aliadas a um ambiente que proporcione estímulos saudáveis e adequados, contribuirão para que o filhote atinja plenamente seu potencial. O proprietário tem um papel fundamental neste processo.

Período Neonatal: abrange os primeiros 13 dias de vida do filhote. Durante este período a mãe tem um papel fundamental, pois cabe a ela fornecer-lhe alimento e calor.

Período de Transição: ocorre entre o 13o e o 21o dias de vida do filhote e, ainda, o papel da mãe é fundamental. Neste período, o filhote começa a ouvir, apurar o olfato e paladar, engatinhar, explorar o ambiente e brincar com seus irmãos.

Período de Conscientização: ocorre entre o 21o e o 23o dias de vida. Este período é crucial para o desenvolvimento sensorial do filhote. Nesta fase, é desaconselhável estimular demais seus sentidos.

Período de Socialização: ocorre entre 21 a 49 dias de idade. Durante este período, o filhote compreende que é um cão e aprende a reagir adequadamente aos estímulos de seus companheiros caninos. Tanto sua mãe como seus irmãos de ninhada lhe ensinarão regras de boas maneiras como, por exemplo, a controlar suas mordidas. Ao completar 7 semanas ou 49 dias de vida, é possível realizar o teste de aptidão do filhote, que não deve ser executado anteriormente, pois os resultados poderiam ser imprecisos.

Socialização Adicional: ocorre entre o 50º e o 84º dias de vida. A partir da sétima semana de vida, evidenciam-se fortes tendências ao aprendizado e tudo o que o filhote assimilar neste período trará conseqüências a longo prazo. Os filhotes são muito suscetíveis a estímulos que induzam ao medo entre a 8ª e 11ª semanas de vida. Quaisquer experiências traumáticas, dolorosas ou assustadoras nesta época podem influenciar o filhote ao longo de toda a sua vida.

Amadurecimento: ocorre entre 12 a 16 semanas. Neste período os filhotes começam a testar seus limites de dominância.

Instinto de Fuga, Adolescência e Medo Novamente: começa com 16 semanas e dura até os 6 meses de idade, ou mais. O segundo período da influência do medo é semelhante ao primeiro, porém não é tão nítido. Nesta fase, o filhote pode demonstrar temor tanto ao se aproximar de algo desconhecido, como também com algo que lhe seja absolutamente familiar. Não é aconselhável forçar o cão a se aproximar de algo que o amedronte, mas também não devemos acariciá-lo ou mimá-lo. Nestas situações, a melhor solução é demonstrar paciência, gentileza e compreensão com o objetivo de amenizar o impacto e torná-lo uma experiência positiva.

Este breve resumo deverá ajudá-lo a avaliar a complexidade do desenvolvimento de um filhote. É altamente recomendável que você pesquise mais sobre este assunto. Faça tudo o que estiver a seu alcance para garantir o pleno desenvolvimento de seu cão.

Exercícios Com O Filhote de Bernese:

Para que os filhotes mantenham um bom tônus muscular e condicionamento físico é necessário realizar exercícios regulares e supervisionados ao ar livre, em locais seguros e apropriados. Atividades como: caminhadas, corridas, natação e brincadeiras moderadas, devem ser adequadas às condições físicas do filhote e à sua aptidão individual para exercícios. Os exercícios jamais devem ser vigorosos demais (como o Cooper ou brincadeiras violentas por um longo período). Brincadeiras e exercícios sem supervisão com cães maiores ou mais velhos podem facilmente ferir o filhote e causar danos permanentes a seus músculos, tendões e ossos. Os filhotes devem ser levados para a área externa da casa várias vezes ao dia, para que possam aprender onde fazer suas necessidades. É praticamente impossível para um filhote conter a defecação ou micção por um longo período. Com um treinamento regular, o filhote deverá aprender a controlar suas necessidades fisiológicas com, no máximo, 8 meses de idade.

A Dieta do Bernese:

Cabe ao proprietário fornecer uma dieta saudável a seu filhote. Uma alimentação de boa qualidade, que promova o pleno desenvolvimento e o crescimento equilibrado do filhote, maximizará suas possibilidades de se tornar um adulto saudável. O criador, baseado em sua própria experiência, deverá orientar o proprietário com relação ao tipo e à quantidade de ração a ser fornecida ao filhote de Bernese.

— Os filhotes geralmente são alimentados 3 vezes ao dia até que atinjam de 3 a 6 meses de idade. Berneses adultos geralmente são alimentados 2 vezes ao dia. Fornecer uma única e grande refeição diária pode provocar torção gástrica. Além disso, o cão deverá ter uma bacia de água fresca disponível durante todo o dia.
— O cão jamais deve realizar exercícios vigorosos logo após ter sido alimentado. Exercícios físicos só deverão ser realizados no mínimo 2 horas após as refeições para não prejudicar o processo de digestão.
— Para controlar o peso e garantir um crescimento uniforme, muitos criadores oferecem a seus Berneses uma dieta com teores de proteínas baixos ou moderados. Cães de grande porte tendem a apresentar níveis de crescimento rápidos. O crescimento muito acelerado é indesejável, pois sobrecarrega músculos e tendões, ainda imaturos para suportar uma forte ossatura.

Castração:

A castração protege o cão contra enfermidades associadas ao aparelho reprodutor. Fêmeas não castradas podem desenvolver piometra (infecção e inflamação do útero) e apresentam uma incidência maior de tumores mamários. Machos não castrados podem desenvolver problemas de próstata ou câncer nos testículos, principalmente se um ou ambos os testículos não tiverem descido ao saco escrotal. As enfermidades do sistema reprodutor podem ser letais. A maioria dos filhotes não é castrada antes da venda. Porém, apesar de não ser uma prática comum entre os criadores de Bernese Mountain Dog, a castração precoce (realizada antes da venda do filhote) está se popularizando. A maioria dos machos e fêmeas que não serão utilizados na reprodução é castrada entre 6 meses a 1 ano de idade. A castração requer o uso de anestésicos e, como alguns Berneses tendem a apresentar graves reações à anestesia, é conveniente alertar educadamente o seu veterinário contra esta possibilidade. Tanto machos como fêmeas castrados são excelentes animais de companhia, pois estão isentos de certos comportamentos indesejáveis associados à reprodução como: excitabilidade com cães do sexo oposto, marcação de território, dominância ou agressão e fugas na época do cio. Um criador responsável incluirá condições para a castração no contrato de venda de seu filhote.

Cuidados Com a Saúde do Filhote de Bernese:

O proprietário deverá providenciar cuidados veterinários antes de adquirir o filhote. No contrato de compra, o criador deverá estabelecer um prazo de garantia para que o veterinário do comprador realize um exame completo no filhote. Esta será a primeira de uma série de consultas que seu filhote fará ao veterinário durante seu primeiro ano de vida. Além disso, para garantir a saúde de seu cão, é recomendável incluir um plano de check-ups anuais. No primeiro exame, o veterinário irá:

— Auscultar o coração do filhote e verificar a existência de anormalidades. (ligeiros sopros de coração tendem a desaparecer com o tempo, porém outros são mais graves). Quaisquer anormalidades devem ser registradas e relatadas ao criador .

— Examinar os olhos e também as pálpebras assegurando-se que elas se ajustem perfeitamente ao globo ocular.

— Verificar se os ouvidos estão livres de secreções e se os dentes apresentam uma mordedura perfeita. Deve-se examinar o encaixe das arcadas dentárias superior e inferior assim como a presença de todos os dentes. Anormalidades graves de oclusão poderão prejudicar a saúde bucal.

— Observar se o filhote macho tem os dois testículos no escroto. Testículos recolhidos dificultam a cirurgia de castração e representam uma despesa adicional para o proprietário.

— Registrar quaisquer anormalidades estruturais graves. Por exemplo, membros anteriores muito próximos na altura das articulações carpais, com as patas nitidamente voltadas para fora, semelhantes aos do Basset Hound. As articulações dos posteriores devem ser bem anguladas. No caso de falta de angulação dos posteriores, o veterinário deverá verificar através de apalpação a firmeza das articulações dos jarretes. Se o filhote tiver jarretes de vaca muito pronunciados (as articulações dos jarretes quase encostam uma na outra quando o cão está em pé), o veterinário deverá examinar seus joelhos, para verificar se eles se encaixam firmemente.

— Realizar um exame de fezes para verificar a existência de parasitas intestinais. Um resultado negativo neste exame não significa necessariamente que os filhote apresentará o mesmo resultado algumas semanas depois. Assim sendo, é recomendável repetir este exame quando você retornar ao veterinário para a vacinação. Os parasitas intestinais muitas vezes não são detectáveis em todos os estágios de seus ciclos de vida. Às vezes, filhotes aparentemente saudáveis hospedam parasitas como coccidea e giardia, que podem causar graves diarréias. Com o stress da mudança de lar, o sistema imunológico do filhote pode ficar fragilizado, fazendo com que estes parasitas prejudiquem o trato intestinal. Diarréias aquosas são muito graves e devem ser tratadas por um veterinário, pois o filhote poderá ficar desidratado no prazo de 1 ou 2 dias.

— Procurar por vestígios de pulgas ou carrapatos. O contágio por tênias (parasitas intestinais) ocorre quando o cão ingere pulgas. É imprescindível controlar a infestação de parasitas externos durante toda a vida de seu cão.

— Verificar se o filhote apresenta hérnia umbilical, o que é tão comum nos Berneses, que muitos criadores simplesmente as ignoram. As hérnias umbilicais são geralmente hereditárias ou podem ser resultantes de traumas durante o parto. Em muitos livros, afirma-se que animais portadores de hérnia umbilical não devem ser utilizados para a reprodução, porém essa anomalia é tão comum nos Berneses, que esta regra é praticamente ignorada. As hérnias umbilicais geralmente não causam nenhum problema ao animal, sendo que muitos consideram a reparação deste problema uma cirurgia plástica. Contudo, algumas hérnias são bastante pronunciadas e requerem uma cirurgia. Se o filhote apresenta uma hérnia umbilical, este problema deve ser revelado antes da compra, para que você possa discutir os riscos com seu veterinário.

— Examinar a carteira de vacinação fornecida pelo criador. O veterinário poderá decidir vacinar o filhote imediatamente. É altamente recomendável que o futuro proprietário discuta o esquema de vacinação com o criador ANTES de levar o filhote para casa. O excesso de vacinas em um curto período pode provocar um stress desnecessário ao filhote. Às vezes, as vacinas que o filhote recebe na área de domicílio do criador não são adequadas para a região do país em que ele viverá, o que pode ameaçar sua saúde. Certas vacinas são utilizadas em áreas de alta incidência de determinadas doenças, sendo raramente ministradas em regiões onde a incidência desta mesma doença é baixa. Desta forma, é aconselhável informar-se previamente, tanto com o criador, como também com o veterinário, sobre a vacinação adequada a seu filhote. A vacinação SOMENTE deve ser ministrada a cães em perfeito estado de saúde. É recomendável evitar a aplicação da vacina anti-rábica em conjunto com as outras vacinas, pois podem ocorrer reações adversas.

Considerações Finais : O bem-estar e a qualidade de vida de seu filhote estão em suas mãos. O material aqui contido é apenas um breve resumo.